quinta-feira, 21 de junho de 2007

bends

Conversavamos hoje sobre meios tecnológicos e as interferencias desses novos "frames" nas nossas vidas. Citaram o Second Life e foi quando o Gustavo dissera que queria abrir um escritório de Arquitetura dentro daquilo. E me senti perdido por não conseguir mais acompanhar a evolução tecnológica do mundo. Antigamente eu sabia sobre tudo e achava ótimo. Fui me perdendo dentro disso e hoje perdi a necessidade. Tudo bem que é maravilhoso todo o planeta poder acessar um site e se reunir em um mesmo lugar. É conhecer? tudo bem.. É turismismo? é.. mas tudo bem. Quando isso acaba e se torna um evento? Quando o mercado nos colocou em uma conformação de cidade tal que precisamos entrar em um meio onde estabelecemos relações ultra descartáveis para abastecer nossa necessidade básica de afeto.
Foi quando eu voltei pra casa e sentei com um dos violões e veio The Bends pelos meus dedos. E percebi uma frase do Thom..
I need to wash myself again to hide all the dirt and pain
Id be scared that theres nothing underneath
And who are my real friends?
Have they all got the bends?
Am I really sinking this low?

E depois que cantei isso senti um calafrio. Que é pra longe disso que estou caminhando. Me desprendendo de meus contatos descatáveis e vivenciando mais a alegria e minucias das pessoas que me circundam e que me fazem felizes. As que conheço. The ones that got the bends.

4 comentários:

e. disse...

'contatos descartáveis' foi quase rude, mr. sam. tomara que eu não esteja nesta classificação, afinal, foi essa tecnologia desenfreada que nos uniu =/

e eu gosto tanto do senhor..

Rcesar disse...

Mais uma vez, o choque frontal com a promessa determinista: a revolucao virtual vai encolher as distancias e virtualizar tudo. Ora essa, isso tudo esta ficando cansado, second life eh hoje o que vrml foi ha 5 anos. Faz voce muito bem de se insurgir. Isso tudo eh brinquedo de crianca. Let's play correctly.

Juliana disse...

eu nasci numa época na qual ninguém tinha computador, impressora, quanto mais internet. é por isso que me acostumei a escrever cartas de amor...

nossa, gostei disso. vou postar no meu blog. bêjus, mr sam!

fração virtual disse...

independente do meio, que haja afeto.