quinta-feira, 30 de agosto de 2007

arraste-se

Ela se portava como uma aristocrata. Uma aspirante à aristocracia. Uma emergente. Uma vontade de ser alguém importante e não ter que puxar o saco e ter o seu puxado. Tudo era carencia de afeto explicito em suas falas. Sua carencia e necessidade de curvar o mundo a si. Buscando os desejos dos outros querendo tomá-los e usufruí-los. Nunca se contentou em apenas dizer e notar. Conversar com os outros apenas pra coagir em suas falsas ambições. Suas omissões de vontades. Nada era explicito e cada vez mais se afogava num mar de "ninguém me entende". E realmente ninguém a entendia por passar tanto tempo sem dizer realmente sobre seus desejos. Seus anseios. O tempo já castigara suas feições e sua cota de afeto apenas inflava enxuta. A angustia lhe acordava todas as manhãs quando se olhava no espelho, onde voltava após se arrumar para se adimirar. Começa, então, a explicitar os seus anseios, mas não sendo o alvo deles. Sempre havia o outro. Mas nunca o outro pra si. E isso a digeria criando uma carapaça oca de pele e os ossos já começavam a se desfazer beirando a falencia da sua própria cobertura numa queda podre.
Arraste-se pois nada te resta.

diabetes é sempre plural.....

3 comentários:

Mi Honorato disse...

Esse finalzinho aqui:
"E isso a digeria criando uma carapaça oca de pele e os ossos já começavam a se desfazer beirando a falencia da sua própria cobertura numa queda podre."
Parece influência de uns textos que tem por ae... ;~)

Anônimo disse...

*falência, admirar, carência, explícito.

não gostei dos seus textos. você não sabe construir um texto com coerência, você escreve palavras erradas, não sabe pontuar e nem pensando uma hora no seu texto eu iria conseguir entender a ligação de uma frase com o outra.
faz um curso de redação. ou compra este livro:
Da redação escolar ao texto
Um manual de redação/
Paulo Coimbra Guedes

"Uma vontade de ser alguém importante e não ter que puxar o saco e ter o seu puxado."
ser alguêm importante e não ter o mundo inteiro lhe puxando o saco? em que mundo você vive?

"O tempo já castigara suas feições e sua cota de afeto apenas inflava enxuta."
você precisa colocar vírgula antes do E.

"E realmente ninguém a entendia por passar tanto tempo sem dizer realmente sobre seus desejos" primeiro erro: sem falar, não sem dizer.
segundo: você repete a palavra realmente duas vezes, e o que você quis dizer com "sem dizer realmente sobre seus desejos". o realmente não era necessário, já que ou ela fala ou não sobre seus desejos.

"Sua carencia e necessidade de curvar o mundo a si. Buscando os desejos dos outros querendo tomá-los e usufruí-los."
não se começa frase com gerúndio, o buscando não precisava começar outra frase.

"E isso a digeria criando uma carapaça oca de pele e os ossos já começavam a se desfazer beirando a falencia da sua própria cobertura numa queda podre."
aquele "já" corta a frase, como se você fosse falar de um novo tópico, mas continua falando do outro e fico sem entender o que você quis dizer.

...não é sua culpa, ninguém nasce sabendo escrever, se você quer mesmo escrever, você deveria ler este livro, só assim você vai entender o que estou lhe dizendo, ele dá umas dicas legais.

boa sorte!

sam disse...

oba! vou voltar pra escoooola!!!