quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Disco

Quando foi que pegaram alguém e disseram: "A melhor forma de publicarmos sua música é gravarmos umas 12, 15 músicas colocar numa mídia e vender."?
E porque isso dura até hoje? Apesar do White Stripes já terem vendido disco em pendrive e o radiohead ter vendido o album sem uma mídia física e até mesmo o arctic monkeys que todo mundo já dancava o que na época se chamava scummy man, mas virou i bet that u look good on the dance floor quando virou disco pra todo mundo, que já dancava mas não sabia que música era, soubesse qual era só de ver o nome cantado no refrão.
Mas se nem é a melhor forma de ganhar dinheiro, pq alguém num quebra de vez com esse padrão até que todo mundo possa acostumar e assimilar que os discos não precisam necessáriamente existir.
Vi uma propaganda, deplorável, da Kelly Key (um nome que ninguém sabe pq existe) que ela mesmo diz que não precisa comprar um disco apenas por causa de uma música. Ela mesmo sabe que ela não é gente de fazer um disco inteiro. Ela vende seu corpo ali, e que todo mundo o deseja, com uma ou duas músicas apenas.
E bem. Pra produzir um pendrive que caibam uma ou duas músicas, ou mesmo um cartão de memória de uns oito, 16mb hoje em dia num sai nem barato, mas sai impossível pra vender. E como se ganha dinheiro mesmo é nos shows... se é pra explorar mesmo, que façam 5 shows por semana! Mas a questão é que façam essas mídias pequenas talvez até pra distribuição, que tenha lá uma caixa cheia dessas coisas pra experimentar com o nome da banda e das duas músicas, site da banda ou talvez um myspace tudo na embalagem, e imagina tb em que cada mp3player houvesse uma entrada pra essas mídías, seja apenas uma entrada prum cartão de memória ou uma entrada usb. aumenta um pouco o tamanho, mas se seguirem essa opção de recarregarem no computador ou pela tomada, mas sem usar bateria, que aumenta e múito o tamanho dos aparelhos, o tamanho não fica grande demais, e todo mundo pode passar numa loja de música, enfiar a mão nessas caixas e tirar uma coisa aleatória e ouvir e dizer, poxa, isso é legal.. copia pro computador, e passsa pros amigos.. troca um desses cartões de memória com um amigo, namorada, pai, mãe, professora.. enfim... se divulga muito mais as bandas e todo mundo pode fazer algo que se torna barato e fácil de personalizar.
Enfim. Disco pra que????

2 comentários:

Rcesar disse...

Concordo. Eu mesmo nao compro um cd ha uns 4 anos. Ou melhor, os ultimos que comprei foram numa Charity, custaram 2 reais e eram de musica erudita, ja ia esquecendo. Dois reais, £0,50!!! Essa avassaladora e aparente criatividade tambem estah agora na capacidade de browsering milhares de titulos, em todos os tempos. Fica uma questao: sera que as selecoes, as coletaneas eh que custarao mais caro, separando lixo de coisa boa? Nao sei. Um abracao, nao some nao!

tati teles disse...

adorei.. com certeza o importante é que o artista consiga ser ouvido, que consiga produzir suas músicas e que sua mensagem seja dada, as pessoas gostando ou não.
é muito fácil gravar coisas dos outros ou mesmo subir num palco por exibição..rs
achei lindo o radiohead cancelar um show na europa: tantas pessoas de carro iriam contribuir para poluição ambiental.. (genial..)
o capitalismo está acabando com o planeta; deveria ser regra: simplificar para preservar.

bjosss :****